Histórico

O Centro de Educação Infantil Paraíso da Criança foi construído em 1997 e iniciou as atividades em fevereiro de 1998. O decreto lei 8161 de 03/07/97, parecer 004/98 do COMED/Joinville e resolução 007/98 que autorizou o funcionamento a partir de 07/12/98.
É mantido pela Prefeitura Municipal de Joinville, Secretaria da Educação e Associação de Pais e Professores (APP). O nome fantasia “Paraíso da Criança” foi escolhido entre outros tomando como ponto de partida o nome do bairro e na época por ser a primeira instituição de educação infantil no bairro.
Através do decreto nº 12.848 de 24 de março de 2006, fica alterada a nomenclatura: O Jardim de Infância Paraíso da Criança, localizado na: Avenida Júpiter, nº 903, Bairro Jardim Paraíso, passa a se chamar: Centro de Educação Infantil Paraíso da Criança.
O prédio tinha capacidade para atender 200 crianças, mas devido a demanda em 2000 foi implantado o turno intermediário, o qual atendia mais 112 crianças.
Com a reforma e ampliação do prédio, concluída em agosto de 2006, foi eliminado o turno intermediário.
Hoje temos um espaço físico com salas amplas e bem ventiladas, equipadas adequadamente, atendendo um número de 305 crianças de 3 a 5 anos e 11 meses, divididos em dois turnos: 6 salas no matutino e 6 salas no vespertino, num total de 12 turmas.

Diretora: Ruth de Souza Dias
Aux. de Direção: Liziane Goulart machado da Silva
Coord. Pedagógica: Nilse Regina Bogo

Estamos no Facebook

25/03/2011

Contação de Histórias

Contação de Histórias:
Menina Bonita do Laço de Fita

Era uma vez uma menina linda, linda.
Os olhos dela pareciam duas azeitonas
pretas, daquelas bem brilhantes.
Os cabelos eram enroladinhos e bem negros, feito fiapos da noite. A pele era
escura e lustrosa, que nem o pêlo da
pantera negra quando pula na chuva.
Ainda por cima, a mãe
gostava de fazer
trancinhas no cabelo dela
e enfeitar com laço de fita colorida. Ela ficava parecendo uma
princesa das Terras da África, ou uma
fada do Reino do Luar.
Do lado da casa dela morava um coelho branco, de orelha cor-de-rosa,
olhos vermelhos e focinho nervoso
sempre tremelicando. O coelho achava
a menina a pessoa mais linda que ele
tinha visto em toda a vida. E pensava:
- Ah, quando eu casar quero ter uma
filha pretinha e linda que nem ela…
Por isso, um dia ele foi até a casa da
menina e perguntou:
-Menina bonita do laço de fita, qual
é teu segredo pra ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
- Ah, deve ser porque eu caí na tinta
preta quando era pequenina..
O coelho saiu dali, procurou uma lata
de tinta preta e tornou banho nela.
Ficou bem negro, todo contente. Mas
aí veio uma chuva e lavou aquele pretume, ele ficou branco outra vez.
Então ele voltou lá na casa da menina
e perguntou outra vez:
-Menina bonita do laço de fita, qual é
teu segredo pra ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
- Ah, deve ser porque eu tomei muito
café quando era pequenina.
O coelho saiu dali e tomou tanto café
que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi. Mas não ficou nada
preto.
Então ele voltou lá na casa da
menina e perguntou outra vez:
- Menina bonita do laço de
fita, qual é teu segredo pra ser tão
pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
- Ah, deve ser porque eu comi muita
jabuticaba quando era pequenina.
O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba
até ficar pesadão, sem conseguir
sair do 1ugar. O máximo que
conseguiu foi fazer muito cocozinho
preto e redondo feito jabuticaba.
Mas não ficou nada preto.
Por isso, daí a alguns dias ele voltou lá na
casa da menina e perguntou outra vez:
- Menina bonita do laço de fita, qual
é teu segredo pra ser tão pretinha?
A menina não sabia e já ia inventando
outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela,
que era uma E,, mulata linda e risonha, resolveu se  meter e disse:
- Artes de uma avó preta que ela tinha…
Aí o coelho - que era bobinho,
mas nem tanto - viu que a mãe da menina
devia estar mesmo dizendo a verdade, porque
a gente se parece sempre é com os pais, os tios,
os avós e até com os parentes tortos.
E se ele queria ter uma filha pretinha e
linda que nem a menina, tinha era que procurar uma coelha preta para casar.
Não precisou procurar muito.
Logo encontrou uma coelhinha escura
como a noite, que achava aquele
coelho branco uma graça.
Foram namorando, casando e tiveram
uma ninhada de filhotes, que coelho
quando desanda a ter filhote não pára mais.
Tinha coelho pra todo gosto: branco,
bem branco, branco meio cinza,
branco malhado de preto, preto
malhado de branco e até uma coelha
bem pretinha. já se sabe, afilhada da
tal menina bonita que morava na casa
ao lado.
E quando a coelhinha saía, de laço
colorido no pescoço, sempre
encontrava alguém que perguntava:
- Coelha bonita do laço de fita, qual é
teu segredo pra ser tão pretinha?
E ela respondia:
- Conselhos da mãe da minha
madrinha…

2 comentários:

cibele disse...

parabéns a toda equipe do cei que se dedica diariamente com muito amor e carinho, buscando fazer a diferença na vida das crianças, sou ainda mais feliz por poder participar disso... PROFESSORA CIBELE

danielamaihack disse...

Parabéns pelo trabalho lindo... tenho muito a aprender mas adoro todos Vcs e estou com saudade... Bjs DANI